Coisas que fiz a 8 dias

29 Mar

da Nina nascer.

Descobri que bebês tem que ter pegada.

Me senti culpada por não ter ouvido muita música clássica.

Me senti culpada porque ainda não fiz fotos de grávida, só esta e esta e esta.

Lembrei que ainda não montei a super necessária caixinha de medicamentos.

Vovó Me fizeram lembrar que a mãe da Nina precisa fazer a sua própria mala para a maternidade, afinal de contas vamos ficar eu e ela lá.

Abri mão dos palpiteiros. Ou ouço a minha médica, e só ela apenas, ou vou começar uma série de novas atividades rotineiras diárias, para seguir todos os conselhos mais-bem-intencionados-do-mundo que to-do mun-do me dá, e que se contradizem. (Google it e descubra por si só: Massageie o peito, de forma alguma massageie o peito, pegue sol, não pegue sol, não beba suco ácido, beba suco de limão e sem açúcar, coma menos, coma mais, arrume a mala, não faça a mala pq vai amassar tudo, aproveite os últimos dias mas durma muito, compre uma cinta, não use a cinta, bebês dormem apenas de barriga pra cima, sem travesseiro, bebês podem dormir de lado, numa inclinação de 30o(!!!).

Recebi os nichos do quarto da Nina. Planejei onde colocar cada um.

Ganhei um quadro fofo da Tia Drica, de ursos, para porta do quarto em casa, já que o outro é muito pesado e depois de usado na maternidade vai pra parede.

Lembrei da abençoada senhora de quem comprei lembrancinhas e que, acredite, conseguiu enviar tudo errado duas vezes. Pensei se ela entenderia minhas 5 ligações diárias cobrando, se lançaria bênçãos sobre a minha vida por ficar ligando, e decidi dar o dia de folga pra ela, confiando que amanhã estarão aqui. (Lembrei que não existe plano B para o caso dela conseguir mandar errado a 3a vez).

Ouvi minha mãe me perguntar umas 10 vezes: você tem noção de que semana que ela estará aqui?

E assim, pensei novamente: “Nina, fica que vai ter bolo”.

Li diversos blogs bacanas de maternidade, como o guia prático, o sobre fraldas, o mãe da rua, e TK GOD não encontrei nenhuma mãe assinando “mammy de não sei quem”.

Lembrei do quanto eu acho isso brega e desnecessário. Filosofei sobre como não vou deixar de ser mulher por assumir mais um papel na vida: o de mãe. Por mais que a Nina seja a pessoinha mais fofa e amada no meu universo, eu não quero virar uma mulher com cheiro de leite. Mães, pensem nisso. Pelo vosso bem, e alegria de vossos maridos.

Tentei arduamente fazer a Nina apertar qualquer outro órgão menos meu estômago. Deitei, virei, joguei a barriga pra direita e pra esquerda, comi pimenta, fiquei sentada expirando profundamente. Nothing works. Ela gosta de usar meu estômago de travesseiro. E a azia é uma constante.

Mas a coisa mais importante que eu fiz foi avaliar o que foram estes 9 meses até aqui. Estas 38 semanas. E eu agradeci a Deus. Porque, definitivamente, i was never alone. E mesmo nos dias mais difíceis, Ele colocou pessoas na hora certa e no lugar certo, para me ajudar. Muitos me diziam: “COMO? Como você consegue?” Eu não conseguiria mesmo. Mas nunca estive sozinha. Deus foi comigo e me fez transformar momentos tristes nos dias mais felizes da minha vida. É loucura? Maybe. Mas hoje, depois de ter atravessado um rio, corrido uma maratona, enfrentado tempestades, eu posso olhar pra trás e dizer que td valeu a pena:

1. Apesar de uma gravidez turbulenta no começo, a Nina é super saudável. Mais que a maioria dos bebês na idadezinha dela. (Nina, sualinda!)

2. Conheci meus verdadeiros amigos, desde quando soube da gravidez, até aqui. Descobri que nem sempre um cartão de membro ou a ausência dele fale muito sobre quem é a pessoa.

3. Amo mais, admiro mais, respeito mais, e agradeço cada dia mais a Deus pela família que eu tenho.

4. Conheci pessoas e histórias incríveis.

5. Do pouquinho desse amor sobrenatural que já sinto pela Nina, (e que certamente vai explodir dia 5), tenho certeza que ela é o melhor e maior presente de Deus na minha vida.

6. E finalmente, entendi porque a paz de Deus excede todo entendimento.

You made all the delicate, inner parts of my body and knit me together in my mother’s womb. Thank you for making me so wonderfully complex! Your workmanship is marvelous and how well I know it. You watched me as I was being formed in utter seclusion, as I was woven together in the dark of the womb. You saw me before I was born. Every day of my life was recorded in your book. Every moment was laid out before a single day had passed.

Psalm 139:13-16

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: